Situacoes ligadas ao Assedio Moral

– dar instruções confusas e imprecisas,

– bloquear o andamento do trabalho alheio,

– atribuir erros imaginários,

– ignorar a presença de funcionário na frente de outros,

– pedir trabalhos urgentes sem necessidade,

– pedir a execução de tarefas sem interesse,

– fazer críticas em público,

– sobrecarregar o funcionário de trabalho,

– não cumprimentá-lo e não lhe dirigir a palavra,

– impor horários injustificados,

– fazer circular boatos maldosos e calúnias sobre a pessoa,

– forçar a demissão,

– insinuar que o funcionário tem problemas mentais ou familiares;

– transferi-lo do setor, para isolá-lo,

– não lhe atribuir tarefas,

– retirar seus instrumentos de trabalho (telefone, fax, computador, mesa),

– agredir preferencialmente quando está a sós com o assediado,

– proibir os colegas de falar e almoçar com a pessoa.

– brincadeira de mau-gosto quando o empregado falta ao serviço por motivo de saúde, ou para acompanhar um familiar ao médico,

– marcação sobre o número de vezes e tempo que vai ou fica no banheiro,

– vigilância constante sobre o trabalho que está sendo feito,

– desvalorização da atividade profissional do trabalhador,

– exigência de desempenho de funções acima do conhecimento do empregado ou abaixo de sua capacidade ou degradantes,

– indução do trabalhador ao erro, não só para criticá-lo ou rebaixá-lo, mas também para que tenha uma má imagem de si mesmo,

– indução da vítima ao descrédito de sua própria capacidade laborativa,

– recusa à comunicação direta com a vítima, dando-lhe ordens através de um colega,

– censura ao trabalhador de forma vaga e imprecisa, dando ensejo a interpretações dúbias e a mal entendidos,

– exigência de tarefas impossíveis de serem executadas ou exigir realização de atividades complexas em tempo demasiado curto;

– supressão de documentos ou informações importantes para a realização do trabalho;

– não-permissão ao trabalhador para que se submeta a treinamentos;

– marcação de reuniões sem avisar o empregado e posterior cobrança de sua ausência na frente dos colegas;

– ridicularizações das convicções religiosas ou políticas dos gostos do trabalhador.

– não municiar o empregado das informações necessárias para a execução do trabalho;

– determinar a execução de função para a qual o empregado não foi treinado ou orientado;

– determinar a execução de função perigosa a empregado despreparado;

– negar o fornecimento de equipamentos individuais de proteção;

– não dar espaço a questionamentos do empregado.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: